Menu


Texto Banner 1
Texto Banner 2
Texto Banner 3
Texto Banner 4
Campos de exibição:
Famanho da fonte:
Linguagem:
Classificado por:
Permanent Link

Kalanchoe delagoensis

Nome comum

Sinônimos

  • Bryophyllum delagoense
  • Bryophyllum tubiflorum
  • Bryophyllum verticillatum
  • Geaya purpurea
  • Kalanchoe tuberosa
  • Kalanchoe tubiflora
  • Kalanchoe verticillata
 
  • cacto-japonês
  • cacto-da-abissínia
  • flor-da-abissínia
 

Taxonomia

Autor

Eckl. & Zeyh. 

Subespécie

 

Autor da subespécie

 

Gênero


Família


Ordem


Classe


Phylum


Reino


Subfamília


Série


Gerais

Área de distribuição natural

África (Madagascar).

Ambientes naturais

Florestas tropicais.

Descrição da espécie

Ervas suculentas, hastes simples de até 30 cm de altura, folhas acinzentadas, cilíndricas, com até 19 cm de comprimento e 0,5 cm de largura, com bordo liso e propágulos no ápice, flores laranjas.

Forma biológica

  • Herbácea
 

Reprodução

  • Sementes
  • Vegetativa
 

Dispersão

  • Vento
  • Água
 

Dieta

     

    Uso econômico

    • Ornamental
     

    Uso econômico - descrição

     

    Invasão

    Tipo de introdução Causa de introdução Local de introdução Data Descrição da introdução

    Vetores de dispersão

    • Humano
    • Maquinário
    • Veículo de transporte terrestre
    • Material vegetal
     

    Vias de dispersão

    • Comércio de mudas
    • Pessoas trocando recursos naturais
    • Translocação de maquinário
    • Transporte de material ambiental
    • Uso ornamental
     

    Ambientes preferenciais de invasão

    • Área degradada
    • Campos
    • Floresta
     

    Ambientes preferenciais de invasão - descrição

    Pastagens, campos, áreas degradadas e florestas secundárias. 

    Outros locais onde a espécie é invasora

    Estados Unidos (Texas, Flórida e Havaí), Índia (leste), Austrália, África do Sul. 

    Impactos ecológicos

    Produz grandes quantidades de sementes e plântulas, formando populações densas que podem deslocar e inibir crescimento de espécies nativas. É tóxica para a fauna nativa. 

    Impactos econômicos

    Casos de morte de gado por ingestão da espécie são comuns em Queensland, Austrália (Mckenzie et al, 1987). Ao invadir campos e pastagens substitui gramíneas e leguminosas, e pode reduzir significativamente a produtividade dessas áreas. 

    Impactos sociais

     

    Impactos à saúde

    É tóxica se ingerida. 

    Manejo

    Controle mecânico

    Arranquio manual das plantas com remoção do local de todo o material arrancado. O controle deve ser de longo prazo pois a espécie tem a capacidade de formar banco de sementes. 

    Controle químico

     

    Controle biológico

     

    Medidas preventivas

     

    Resultados de análises de risco

     

    Ocorrências

    Distribuição no país

    • Localizada
     
    Estado Município Referência local Área protegida
    1Rio de JaneiroArmação dos Búzios
    2Rio de JaneiroCabo Frio
    3Rio de JaneiroRio de Janeiro
    4Rio de JaneiroSaquarema

    Projetos

    Título Espécies Contato

    Referências

    Título Autor


    
    sziller@institutohorus.org.br | Brasil