Menu


Texto Banner 1
Texto Banner 2
Texto Banner 3
Texto Banner 4
Campos de exibição:
Famanho da fonte:
Linguagem:
Classificado por:
Permanent Link

Hedychium coronarium

Nome comum

Sinônimos

  • Hedychium coronarium var. baimao
  • Hedychium flavencens
  • Hedychium flavum
  • Hedychium spicatum
  • Hedychium sulphureum
 
  • açucena
  • borboleta
  • borboleta-amarela
  • butterfly lilly
  • cardamomo-do-mato
  • escalda-mão
  • flor-de-lis
  • garland flower
  • jasmim
  • jasmim-borboleta
  • lágrima-de-moça
  • lágrima-de-napoleão
  • lágrima-de-vênus
  • lírio-branco
  • lírio-do-brejo
  • napoleão
  • narciso
  • olímpia
  • white ginger
 

Taxonomia

Autor

J. König 

Subespécie

 

Autor da subespécie

 

Gênero


Família


Ordem


Classe


Phylum


Reino


Subfamília


Série


Gerais

Área de distribuição natural

Nepal (região do Himalaia) e da Índia até a Indonésia.

Ambientes naturais

Áreas úmidas e sub-bosque de florestas.

Descrição da espécie

Herbácea rizomatosa, ereta, florífera, vigorosa, entouceirada, aromática, de 1 - 2,5 m de altura. Hastes eretas, com flores coriáceas, alongadas e tomentosas na face de baixo. Inflorescências terminais, com flores brancas, grandes, muito perfumadas. Apresenta uma seqüência de brácteas parcialmente sobrepostas, num arranjo parcialmente estrobiliforme. Brácteas ovaladas, de ápice agudo, com 4 - 5 cm de comprimento. Dentre as brácteas surgem as flores, em número de 2 a 3 por bráctea. Folhas simples, alternas, com bainhas longas cobrindo os entrenós, estriadas, às vezes pubescentes. Lâminas com 30 - 80 cm de comprimento e 10 - 15 cm de largura, lanceoladas com ápice agudo e margens inteiras. Nervuras lisas e glabras em ambas as superfícies, de coloração verde intensa, brilhante. Nervura mediana proeminente da face dorsal. A partir dos rizomas emergem novos caules, formando-se clones. Caule simples, vigoroso, cilíndrico, ereto, na base avermelhado, e no resto da extensão encoberto pelas bainhas foliares, uma por entrenó. Rizomas fortes com gemas que permitem a formação de novos caules. Fruto tipo baga deiscente, de formato elíptico, de comprimento 1 - 2 cm de largura, liso e glabro, inicialmente verde, passando a uma coloração amarelada e depois, na maturação, alaranjada. Sementes de formato ovalado, com 6 mm de comprimento por 4 mm de espessura, de coloração avermelhada, envoltas por mucilagem que, logo após a abertura do fruto, atrai por sua coloração chamativa.

Forma biológica

  • Herbácea
 

Reprodução

  • Sementes
  • Rizomas
 

Dispersão

  • Aves
  • Animais
 

Dieta

     

    Uso econômico

    • Horticultura
     

    Uso econômico - descrição

    Em décadas passadas utilizada em Morretes (PR) para fabricação de papel. É uma planta ornamental, tanto pela folhagem como pelas flores que exalam um odor agradável, das quais se extrai uma essência para fabricação de perfumes. 

    Invasão

    Tipo de introdução Causa de introdução Local de introdução Data Descrição da introdução
    DeliberadaPara fins ornamentais

    Vetores de dispersão

    • Agua
    • Humano
    • Lixo
    • Solo
     

    Vias de dispersão

    • Comércio de mudas
    • Jardins botânicos/zoológicos
    • Uso ornamental
    • Auto-propagação
     

    Ambientes preferenciais de invasão

    • Agricultura
    • Área degradada
    • Área úmida
    • Floresta
    • Floresta ciliar
     

    Ambientes preferenciais de invasão - descrição

    Lugares brejosos, com temperaturas elevadas durante todo o ano. Muito adaptada às margens de lagos e espelhos d´água. É uma planta palustre que pode invadir canais e riachos, geralmente em águas pouco profundas. Infesta lavouras de cacau e de banana. 

    Outros locais onde a espécie é invasora

    África do Sul, Estados Unidos (Havaí), Samoa, Swazilândia, Ilhas Cook, Equador (Ilhas Galápagos), Estados Federados da Micronésia, Ilhas Fiji, Polinésia Francesa, Japão, Nova Caledônia, Palau, Tonga, Austrália. 

    Impactos ecológicos

    A espécie forma densas touceiras que dificultam ou impedem a sucessão ecológica da vegetação nativa em áreas úmidas e em sub-bosque de florestas. 

    Impactos econômicos

    Entope tubulações em hidrelétricas. 

    Impactos sociais

     

    Impactos à saúde

     

    Manejo

    Controle mecânico

    Arranquio quando há poucos indivíduos em invasão inicial com monitoramento posterior para assegurar que não haja novos brotos de rizomas ou de plantas não arrancadas. 

    Controle químico

    Aspersão foliar de herbicida à base de Triclopir + Fluroxipir a 3%, diluído em água. Corte da parte aérea bem rente ao solo, seguido de aplicação em cada talo cortado, ou aplicação superficial nos rizomas, de herbicida à base de Imazapir na concentração de 1%, colocando-se 1ml por talo/rizoma. A aplicação pode ser feita com uma seringa de uso veterinário ou com uma pisseta. Outra possibilidade é o corte do talo e a aplicação imediata na cepa de uma solução de 1 grama de Metasulfuron-metil diluído em um litro de água. Aspersão com glifosato em diluição de 3% com repetição da aspersão nas rebrotas em 2-3 meses. 

    Controle biológico

    Estudos realizados no Brasil isolaram diversos fungos como agentes potenciais de controle biológico: Gonatophragmium mori, Leptosphaeria sp., Mycosphaerella hedychii, Pseudocercospora hedychii, Veronaea hedychii, Chalara aurea e Curvularia lunata var. aeria (Soares, Barreto, 2008). 

    Medidas preventivas

    Descontinuar o uso da espécie para quaisquer fins e remover populações de locais que possam funcionar como fontes de dispersão de mais propágulos. 

    Resultados de análises de risco

    Risco alto para as Ilhas do Pacífico (http://www.hear.org/pier/species/hedychium_coronarium.htm). Risco alto, I3N – Instituto Hórus, www.institutohorus.org.br, Brasil, 2008. 

    Ocorrências

    Distribuição no país

    • Amplamente distribuída
     
    Estado Município Referência local Área protegida
    1São PauloIporangaParque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR)
    2São PauloIporangaEm áreas úmidasParque Estadual Intervales
    3Rio Grande do SulTramandaíHorto Florestal do Litoral Norte/SEMA
    4Rio Grande do SulItatiNo interior da unidade de conservaçãoReserva Biológica Estadual Mata Paludosa
    5ParanáGuaraqueçabaEm várzeas de rios na planície litorânea
    6ParanáGuaraqueçabaEm áreas úmidasReserva Particular do Patrimônio Natural do Cachoeira
    7ParanáGuaraqueçabaDisseminada por todo o município
    8ParanáGuaraqueçabaEm áreas úmidas
    9ParanáGuaraqueçabaEm áreas úmidas
    10ParanáGuaraqueçabaReserva Particular do Patrimônio Natural Salto Morato
    11ParanáGuaraqueçabaReserva Particular do Patrimônio Natural Serra do Itaqui
    12ParanáGuarapuavaFragmento situado em zona urbanaParque Municipal das Araucárias
    13Santa CatarinaIbiramaMargens do Rio do CoxoFloresta Nacional de Ibirama
    14Rio de JaneiroCasimiro de AbreuReserva Biológica União
    15Rio de JaneiroTeresópolisMargens da estrada da barragemParque Nacional da Serra dos Órgãos
    16Santa CatarinaFlorianópolisEntre a entrada do parque e a quadra esportivaParque Municipal do Morro da Cruz
    17Santa CatarinaFlorianópolisInício da Trilha do SaquinhoParque Natural Municipal da Lagoa do Peri
    18Santa CatarinaFlorianópolisParque Sapiens, Canasvieiras.Parque Natural Sapiens
    19Rio Grande do SulPorto AlegreTrilha de acesso ao topo do morro - ponte de madeira, ambos os ladosRefúgio da Vida Silvestre São Pedro
    20AmazonasManausEntorno do parqueParque Estadual Sumaúma
    21Rio Grande do SulSão Francisco de PaulaEm áreas úmidas no interior da ESECEstação Ecológica de Aratinga
    22Rio Grande do SulSão Francisco de PaulaRio Padilha
    23Rio Grande do SulSão Francisco de PaulaParque Municipal das Cachoeiras
    24Minas GeraisOuro PretoPlanícieEstação Ecológica do Tripuí
    25São PauloSanto AndréÁreas degradadasReserva Biológica do Alto da Serra de Paranapiacaba
    26ParanáTijucas do SulÁrea da Panagro Empreendimentos Floretais cedida à PUC-PR
    27Minas GeraisJanuáriaParque Nacional Cavernas do Peruaçu
    28Minas GeraisUberlândiaÁrea de Preservação Permanente do Córrego do Óleo
    29Minas GeraisFervedouroParque Estadual da Serra do Brigadeiro
    30Minas GeraisLambariSem informaçãoParque Estadual Nova Baden
    31Minas GeraisJoaquim FelícioSem informação
    32Minas GeraisNova PonteUsina Hidrelétrica de Nova Ponte
    33Minas GeraisMuriaéReservatório do Glória
    34Minas GeraisViçosaSem informação
    35Minas GeraisPonte Nova
    36Minas GeraisViçosaSem informação
    37Minas GeraisOuro PretoSem informaçãoParque Estadual do Itacolomi
    38Mato Grosso do SulÁgua ClaraPlanaltos do entorno do Pantanal
    39Espírito SantoMimoso do SulSem informação
    40Espírito SantoAlegreEm áreas úmidasParque Estadual da Cachoeira da Fumaça
    41Distrito FederalBrasíliaSem informação
    42BahiaItabunaSem informação
    43BahiaIlhéusSem informação
    44BahiaIlhéusSem informação
    45Santa CatarinaSão DomingosEm áreas úmidasParque Estadual das Araucárias
    46Santa CatarinaSão DomingosAo longo das margens do rio AraçáParque Estadual das Araucárias
    47Rio de JaneiroTeresópolisEstrada da barragemParque Nacional da Serra dos Órgãos
    48Rio de JaneiroAngra dos ReisParque Nacional da Serra da Bocaina
    49Rio de JaneiroParatiParque Nacional da Serra da Bocaina
    50Rio de JaneiroMacaéReserva Biológica União
    51Rio de JaneiroSilva JardimReserva Biológica de Poço das Antas
    52São PauloIporangaEm áreas úmidas
    53São PauloSete BarrasAo longo da estrada
    54São PauloJuquiáAo longo da estrada
    55São PauloTapiraíAo longo da estrada
    56São PauloPiedadeAo longo da estrada
    57São PauloIbiúnaAo longo da estrada
    58São PauloFranco da RochaEm áreas úmidasParque Estadual do Juquery
    59São PauloSete BarrasRodovia SP-139, no trecho que corta o parqueParque Estadual Carlos Botelho
    60São PauloEmbu-GuaçuEm áreas de várzeaParque Estadual da Várzea do Embu-Guaçu
    61São PauloSão Miguel ArcanjoRodovia SP-139, no trecho que corta o parqueParque Estadual Carlos Botelho
    62São PauloSão PauloEm áreas verdes
    63São PauloSão PauloParque Estadual das Fontes do Ipiranga
    64Santa CatarinaPorto UniãoEm áreas úmidas abertas
    65Santa CatarinaPraia GrandeParque Nacional de Aparados da Serra
    66Santa CatarinaItaiópolis.Reserva Particular do Patrimônio Natural Corredeiras do Rio Itajaí
    67Santa CatarinaItajaíEm áreas úmidas
    68Santa CatarinaFlorianópolisCosta da Lagoa, leste da Ilha de Santa Catarina
    69Santa CatarinaFlorianópolisPraia do Saquinho, sul da ilha
    70Santa CatarinaFlorianópolisCachoeira do Peri, no sul da ilhaParque Municipal da Lagoa do Peri
    71Santa CatarinaNova VenezaRio São Bento e no rio Serrinha onde foi feita a barragem do rio São Bento
    72Santa CatarinaSiderópolisAo longo dos rios São Bento e Serrinha, onde foi feita a barragem do rio São Bento
    73Santa CatarinaSão Francisco do SulEm áreas úmidas
    74Santa CatarinaFlorianópolisReserva Biológica do Arvoredo
    75Santa CatarinaLuiz AlvesParque Botânico do Morro do Baú
    76Santa CatarinaIlhotaParque Botânico do Morro do Baú
    77Rio Grande do SulTorresEm áreas úmidas
    78Rio Grande do SulTorresEm canais de águaParque Estadual de Itapeva
    79Rio Grande do SulMaquinéAo longo de rios, principalmente em fundos de vale
    80Rio Grande do SulPorto AlegreÁreas úmidas e sombreadasParque Natural Municipal Morro do Osso
    81Rio Grande do SulPorto AlegreÁreas úmidas e sombreadasParque Natural Municipal Morro do Osso
    82Rio Grande do SulGramadoAo longo das margens de rios
    83Rio Grande do SulFarroupilhaEm áreas úmidas
    84Rio Grande do SulCaxias do SulEm áreas úmidas
    85Rio Grande do SulTorresMata paludosa e áreas úmidas nas metades oeste e norteParque Estadual de Itapeva
    86Rio Grande do SulAgudoEm áreas úmidasParque Estadual Quarta Colônia
    87Rio Grande do SulPicada CaféEm áreas úmidas
    88Rio Grande do SulTaquaraRio Padilha
    89Rio Grande do SulNova Petrópolis
    90ParanáAdrianópolisRio Ribeira e afluentes
    91ParanáTunas do ParanáRios principais e afluentes
    92ParanáCuritibaParque Natural Municipal Barigui
    93ParanáItaperuçuRio Açungui e afluentes
    94ParanáQuatro BarrasEm áreas úmidas abertas
    95ParanáColomboEm áreas úmidas abertas
    96ParanáUnião da VitóriaEm áreas úmidas abertas
    97ParanáGuaratubaEm áreas úmidas
    98ParanáAntoninaEm áreas úmidas
    99ParanáMorretesEm várzeas de rios na planície litorânea
    100ParanáAntoninaEm várzeas de rios na planície litorânea
    101ParanáGuaratubaEm várzeas de rios na planície litorânea
    102ParanáMorretesSerra da Graciosa
    103ParanáAntoninaReserva Particular do Patrimônio Natural do Morro da Mina
    104ParanáTijucas do SulPedra Branca do Araraquara
    105ParanáPonta GrossaParque Estadual de Vila Velha
    106ParanáMorretesEm áreas úmidas e subosque de caxetais
    107ParanáMorretesParque Estadual do Pico do Marumbi
    108ParanáAntoninaDiversos trechos ao longo da estrada entre São João da Graciosa e Antonina
    109ParanáTelêmaco BorbaMargens do rio Tibagi
    110ParanáAntoninaDiversas áreas do município
    111ParanáCuritibaJardim Botânico
    112ParanáMangueirinhaSem informação
    113ParanáFoz do IguaçuSem informação
    114ParanáFoz do IguaçuSem informação
    115ParanáAdrianópolisSem informação
    116ParanáCampina Grande do SulSem informação
    117ParanáMorretesSem informação
    118ParanáAntoninaSem informação
    119ParanáGuaratubaSem informação
    120ParanáAntoninaSem informação
    121ParanáBocaiúva do SulFazenda Ribeirão das Pedras
    122ParanáCuritibaCampus III - Universidade Federal do Paraná
    123ParanáGuaraqueçabaReserva Particular do Patrimônio Natural Salto Morato
    124ParanáParanaguáIlha do Mel
    125ParanáGuaratubaParque Nacional Saint Hilaire / Lange
    126ParanáQuatro BarrasSítio do Cauê
    127ParanáAntoninaEm áreas úmidasÁrea de Proteção Ambiental de Guaraqueçaba
    128ParanáFoz do IguaçuEm meio às cataratasParque Nacional do Iguaçu
    129ParanáSão João do TriunfoSítio Cedro Grande
    130ParanáCerro AzulSítio Paiol
    131ParanáCascavelZoológicoParque Ecológico Paulo Gorski
    132ParanáAntoninaReserva Particular do Patrimônio Natural do Cachoeira
    133Santa CatarinaFlorianópolisPântano do Sul, sul de Florianópolis
    134Rio de JaneiroMacaéReserva Biológica União
    135Rio de JaneiroRio das OstrasReserva Biológica União

    Projetos

    Título Espécies Contato

    Referências

    Título Autor
    Contaminação biológica por espécies vegetais invasoras nas margens da represa de Vossoroca, APA de Guaratuba, Paraná, Brasil.BLUM, C. T.; POSONSKI, M.; HOFFMANN, P. M.
    Recuperação ambiental e contaminação biológica: aspectos ecológicos e legais.ESPÍNDOLA, M. B.; BECHARA, F. C.; BAZZO, M. S.; REIS, A.
    Estrutura e composição florística do estrato herbáceo-subarbustivo de um pasto abandonado na Reserva Biológica de Poço das Antas, município de Silva Jardim, RJ.VIEIRA, C. M.; PESSOA, S. V. A.
    Espécies exóticas invasoras e recuperação de áreas degradadas.ZILLER, S. R.
    Riqueza de espécies de sub-bosque de um fragmento de floresta ombrófila mista em Tijucas do Sul, PR.LIEBSCH, D.; ACRA, L. A.
    Alien weeds and invasive plants - A complete guide to declared weeds and invaders in South AfricaHENDERSON, L.
    Espécies vegetais exóticas invasoras em florestas no Rio Grande do Sul.MONDIN, C. A.
    Levantamento de plantas exóticas invasoras e estabelecidas na área urbana e entorno do município de Iporanga - SPMARTINS, A. G. S.
    Espécies vegetais invasoras em comunidades florestais nativas nas margens da represa do Vossoroca, APA de Guaratuba, Paraná, Brasil.BLUM, C. T.; POSONSKI, M.; HOFFMANN, P. M.; BORGO, M.
    Levantamento qualitativo das espécies invasoras da Reserva Biológica do IBGE, Brasília (DF), BrasilPEREIRA, B. A. S.; FILGUEIRAS, T. S.
    Las especies invasoras: un reto para la restauración ecológica.LEÓN, O. A. RÍOS, O. V.
    Subsídios para a elaboração do Plano de Manejo do Horto Florestal do Litoral NortePROGRAMA RS RURAL
    Projeto Conservação da Mata Atlântica no Rio Grande Do Sul. Plano de Manejo do Parque Estadual de ItapevaSECRETARIA ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE (SEMA). Departamento de Florestas e Áreas Protegidas
    Mata Atlântica: Biodiversidade, Ameaças e Perspectivas.LEAL, C. G. e CÂMARA, I. G.
    An overview of invasive plants in BrazilZENNI, R. D. ZILLER, S. R.
    Plantas exóticas invasoras na Reserva Biológica do Alto da Serra de Paranapiacaba.PASTORE, M. RODRIGUES, R. S. SIMÃO-BIANCHINI, R. FILGUEIRAS, T. S.
    Fungal pathogens of the invasive riparian weed Hedychium coronarium from Brazil and their potential for biological controlSOARES, D.J., BARRETO, R.W.
    Espécies vegetais nos quintais do entorno do Parque Estadual Sumaúma: invasões biológicas e a conservação da biodiversidadeCRUZ, I. A.
    Plano de ação para controle de espécies exóticas invasoras no Parque Natural Sapiens Parque e entorno.Ziller, S. R.
    A vegetação do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), São Paulo, BrasilIVANAUSKAS, N.M., MIASHIKE, R.L., GODOY, J.R.L, SOUZA, F.M., KANASHIRO, M.M., MATTOS, I.F.A., TONIATO, M.T.Z. & FRANCO,
    Plano de Manejo Reserva Biológica União - Encarte 3INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS – IBAMA
    Contaminação biológica vegetal em fragmento de Floresta Ombrófila MistaCORDEIRO, J., RODRIGUES, W.A., ALBRECHT, L.P. & KRENCHINSKI, F.H.
    Plantas exóticas invasoras na Reserva Biológica do Alto da Serra de Paranapiacaba, Santo André – SP: guia de campoPASTORE ET AL., 2012
    Dinâmica das espécies exóticas Impatiens walleriana Hook. F. e Hedychium coronarium J. Konig, num contexto espaço-temporal, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos/RJ.SILVA, C. P. R.

    Análise de risco

    Amplitude ecológica

    • Especialista: tolera distúrbios
     

    Capacidade de estabelecimento

    • Desconhecido
     

    Velocidade de crescimento e maturação

    • Anual ou perene, desenvolvimento rápido
     

    Reprodução vegetativa

    • Ramos ou rizomas
     

    Produção de sementes

    • Entre 1 e 1.000 sementes viáveis por m2
     

    Dispersão natural de sementes

    • Por agentes físicos (água, vento, etc.) mas não por fauna
     

    Dispersão associada a atividades humanas (intencional)

    • Dispersada intencionalmente por pessoas
     

    Dispersão associada a atividades humanas (acidental)

    • Cresce em áreas de trânsito de pessoas e tem estruturas que favorecem seu transporte
     

    Capacidade de dominância

    • Indivíduos formam núcleos de alta densidade
     

    Alelopatia

    • Desconhecido
     

    Hibridação

    • Não há espécies do mesmo gênero ou se descarta o risco de hibridação
     

    Toxicidade para a fauna silvestre

    • Nenhuma parte da planta é tóxica
     

    Hospedeira de parasitas ou patógenos

    • Hospeda parasitas ou patógenos
     

    Leva à alteração de ciclos ecológicos

    • Não tem características que levem ao aumento da frequência ou da intensidade de incêndios
    • Tem características que tendem a modificar processos ecossistêmicos
     

    Causa mudanças na estrutura do hábitat ou na forma de vida dominante

    • A invasão traz mudanças significativas a etsrutura do hábitat ou a forma de vida dominante
     

    Impacto na economia

    • Desconhecido
     

    Impacto na saúde humana

    • Desconhecido
     

    Impacto sobre valores culturais e sobre o uso tradicional da terra

    • Desconhecido
     

    Tipo de hábitat

    • Terrestre
     

    Características indesejáveis

       

      Capacidade de rebrote

      • Alta capacidade de rebrote a partir de ramos cortados
       

      Tempo de maturação

      • Produz sementes entre idade de 1 e 3 anos
       

      Banco de sementes

      • Desconhecido
       

      Resposta ao pastoreio

      • Desconhecido
       

      Resposta ao fogo

      • Desconhecido
       

      Viabilidade de controle

      • O controle é efetivo e há experiência local
       


      
      sziller@institutohorus.org.br | Brasil