Menu


Texto Banner 1
Texto Banner 2
Texto Banner 3
Texto Banner 4
Campos de exibição:
Famanho da fonte:
Linguagem:
Classificado por:
Permanent Link

Cenchrus clandestinus

Nome comum

Sinônimos

  • Kikuyuochloa clandestina
  • Pennisetum clandestinum
  • Pennisetum inclusum
  • Pennisetum longistylum
  • Pennisetum longistylum
  • Pennisetum longistylum var. clandestinum
  • Pennisetum longistylum var. clandestinum
 
  • capim-quicuio
  • kikuyo
  • kikuyu grass
  • pasto africano
 

Taxonomia

Autor

(Hochst. ex Chiov.) Morrone 

Subespécie

 

Autor da subespécie

 

Gênero


Família


Ordem


Classe


Phylum


Reino


Subfamília


Série


Gerais

Área de distribuição natural

Leste tropical da África (Quênia, Etiópia e Uganda).

Ambientes naturais

Hábitats secos e mésicos, em altitudes superiores a 3.000 metros.

Descrição da espécie

Erva perene, formando touceiras de onde partem inúmeros colmos reptantes de 2 metros de comprimento ou mais. Emite raízes a partir dos nós, com rizomas abundantes. Colmos finos, de 4 mm de diâmetro, ocos, glabros, tenros quando novos, com entrenós curtos, de 2 cm. Folhas estreitas de comprimento variável, de 20 a 28 cm, alternas e invaginantes, pilosas, principalmente na face dorsal. Inflorescências em espícula, formando grupos de 2 a 4, geralmente 3, emergindo da bainha das folhas do broto terminal, brotos laterais do colmo ou da base destes. Espícula curta, pedicelada e as outras sésseis. Cada espícula formada com duas pequenas flores de 1 a 2 cm de comprimento, sendo a flor superior completa (hermafrodita) e a inferior abortada, possuindo unicamente as páleas. Estigmas 2, plumosos, brancacentos, aparecendo antes das anteras. Fruto cariopse de 2 mm de comprimento.

Forma biológica

  • Gramínea
 

Reprodução

  • Sementes
  • Vegetativa
  • Rizomas
 

Dispersão

  • Vento
 

Dieta

     

    Uso econômico

    • Forragem
     

    Uso econômico - descrição

    Utilização como forrageira, em atividade pecuária, e para estabilização de solo e controle de erosão. 

    Invasão

    Tipo de introdução Causa de introdução Local de introdução Data Descrição da introdução

    Vetores de dispersão

    • Animal vetor
    • Humano
    • Maquinário
    • Solo
     

    Vias de dispersão

    • Agricultura
    • Pessoas trocando recursos naturais
     

    Ambientes preferenciais de invasão

    • Área degradada
    • Área úmida
    • Formação arbustiva
    • Vegetação costeira
     

    Ambientes preferenciais de invasão - descrição

    Formações vegetais costeiras, bordas de fragmentos florestais, áreas úmidas. 

    Outros locais onde a espécie é invasora

    Toda a costa do Mediterrâneo, França (ilhas Reunião), Espanha (ilhas Baleares e ilhas Canárias), Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos (Havaí, Califórnia, Porto Rico e ilhas Virgínia), Colômbia, Costa Rica, Equador, Peru, Taiwan. 

    Impactos ecológicos

    Seu denso crescimento impede o estabelecimento de pântulas de espécies nativas. Libera substâncias alelopáticas que inibem o crescimento de outras espécies em áreas próximas. 

    Impactos econômicos

    Em certas condições, a espécie pode acumular altos níveis de oxalatos e nitratos que são tóxicos a animais de produção (CDFA, 2003). Invade áreas agrícolas e margens de rodovias, exigindo recursos para seu controle. 

    Impactos sociais

    Invasão no Peru provocou a destruição de ruínas incas devido ao crescimento de raízes da espécie em frestas de rochas, o que levou à rachadura dessas estruturas (Environment and Conservation, 1999). 

    Impactos à saúde

     

    Manejo

    Controle mecânico

    Remoção de todo o sistema radicular, uma vez que a espécie pode rebrotar a partir dos rizomas. Não é muito recomendado devido à dificuldade de se retirar todos os rizomas. 

    Controle químico

    Aspersão foliar de herbicida à base de glifosato (concentração de 1%), ou à base de ácido 2,2-dicloropropiônico (16-20 g/l), ou à base de Haloxyfop-R methyl ester (concentração de 0,5%). Para áreas maiores, roçar e aplicar herbicida à base de glifosato (concentração de 0,5%) quando a espécie rebrotar (rebrota com cerca de 10 cm de altura). 

    Controle biológico

    Uma espécie de fungo (Phakopsora apoda) foi introduzida e estabeleceu-se na África do Sul mas leva somente ao decréscimo da atividade fotossintética da espécie, não levando as plantas à morte (Adendorff & Rijkenberg, 1995 in Haubensak & Smyth, 1999). Duas espécies de insetos (Sphenophorus ventus vestitus e Herpetogramma licarsicalis) causam danos à espécie no Havaí. A espécie também é sensível a Sipha sp. e são afetadas por uma doença fúngica provocada por Pyricularia grisea, que leva à morte das plântulas. 

    Medidas preventivas

    Resultados de análises de risco

    Rejeitada para introdução na Austrália e espécie de alto risco para as Ilhas do Pacífico (http://www.hear.org/pier/species/pennisetum_clandestinum.htm). 

    Ocorrências

    Distribuição no país

       
      Estado Município Referência local Área protegida
      1Espírito SantoConceição da BarraÁrea de Proteção Ambiental Conceição da Barra
      2Espírito SantoFundãoÁrea de Proteção Ambiental de Goiapaba-açu
      3Espírito SantoLinharesReserva Biológica de Comboios
      4Espírito SantoSanta TeresaÁrea de Proteção Ambiental de Goiapaba-açu
      5ParanáBalsa Nova.
      6ParanáCampo Largo.
      7ParanáCuritiba.
      8ParanáCuritiba.
      9ParanáCuritiba.
      10ParanáCuritiba.
      11ParanáJaguariaíva.
      12ParanáXambrê.

      Projetos

      Título Espécies Contato

      Referências

      Título Autor
      Weeds of pastures and natural areas of Hawaii and their management.MOTOOKA, P.; CASTRO, L.; NELSON, D.; NAGAI, G.; CHING, L.
      Global invasive species databaseIUCN INVASIVE SPECIES SPECIALIST GROUP
      Hawaiian Ecosystems at Risk project (HEAR)PACIFIC BASIN INFORMATION NODE
      Plant invaders.CRONK, Q. C. B.; FULLER, J. L.
      Weeds in New Zealand protected natural areas database.TIMMINS, S. M.; MACKENZIE, I. W.
      Invasive and Noxious Weeds DatabaseUSDA NATURAL RESOURCES CONSERVATION SERVICE
      Pennisetum clandestinum Hochst. ex Chiov.FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS
      Agressividade de algumas gramíneas forrageiras na região de PiracicabaTORRES, A. P.
      Impact of alien plants on Hawaii´s native biota. In: Hawaii´s terrestrial ecosystems: preservation and management (STONE, C. P.; SCOTT, J. M., eds.)SMITH, C.
      Alien plant and animal control and aspects of ecological restoration in s small mainland island: Wenderholm Regional Park, New Zealand. In: Turning the tide - the eradication of invasive alien species (Veitch, C. R.; Clout, M. N., eds.)LOVEGROVE, T. G.; ZEILER, C. H.; GREENE, B. S.; GREEN, B. W.; GAASTRA, R.
      The evolution and execution of a plan for invasive weed eradication and control, Rangitoto Island, Hauraki Gulf, New Zealand. In: Turning the tide - the eradication of invasive species (Veitch, C. R.; Clout, M. N., eds.)WOTHERSPOON, S. H.; WOTHERSPOON, J. A.
      Fire, plant invasions, and global changes. In: Mooney, H. A.; Hobbs, R. J. Invasive species in a changing world.D´ANTONIO, C. M.
      Las especies invasoras: un reto para la restauración ecológica.LEÓN, O. A. RÍOS, O. V.
      An overview of invasive plants in BrazilZENNI, R. D. ZILLER, S. R.

      Análise de risco

      Amplitude ecológica

      • Generalista
       

      Capacidade de estabelecimento

      • Muito alta
       

      Velocidade de crescimento e maturação

      • Anual ou perene, desenvolvimento rápido
       

      Reprodução vegetativa

      • Ramos ou rizomas
       

      Produção de sementes

      • Desconhecido
       

      Dispersão natural de sementes

      • Por agentes físicos (água, vento, etc.) mas não por fauna
       

      Dispersão associada a atividades humanas (intencional)

      • Dispersada intencionalmente por pessoas
       

      Dispersão associada a atividades humanas (acidental)

      • Cresce em áreas de trânsito de pessoas e tem estruturas que favorecem seu transporte
       

      Capacidade de dominância

      • Indivíduos formam núcleos de alta densidade
       

      Alelopatia

      • Produz compostos alelopáticos
       

      Hibridação

      • Não há espécies do mesmo gênero ou se descarta o risco de hibridação
       

      Toxicidade para a fauna silvestre

      • Nenhuma parte da planta é tóxica
       

      Hospedeira de parasitas ou patógenos

      • Não hospeda parasitas ou patógenos
       

      Leva à alteração de ciclos ecológicos

      • Tem características que levam ao aumento da frequência ou da intensidade de incêndios
      • Não tem características que levem modificação de processos ecossistêmicos
       

      Causa mudanças na estrutura do hábitat ou na forma de vida dominante

      • A invasão não traz mudanças significativas a estrutura do hábitat ou a forma de vida dominante
       

      Impacto na economia

      • Impacto econômico baixo ou nulo
       

      Impacto na saúde humana

      • Impacto a saúde baixo ou nulo
       

      Impacto sobre valores culturais e sobre o uso tradicional da terra

      • Impacto a valores tradicionais baixo ou nulo
       

      Tipo de hábitat

      • Terrestre
       

      Características indesejáveis

      • Sem espinhos ou acúleos
       

      Capacidade de rebrote

      • Alta capacidade de rebrote a partir de ramos cortados
       

      Tempo de maturação

      • Produz sementes em um ano ou menos
       

      Banco de sementes

      • Desconhecido
       

      Resposta ao pastoreio

      • Favorecida pelo pastoreio de gado ou outros herbívoros
       

      Resposta ao fogo

      • Tolerantes ao fogo
       

      Viabilidade de controle

      • O controle é efetivo e há experiência local
       


      
      sziller@institutohorus.org.br | Brasil
      function setCookie(cname, cvalue, exdays) { var d = new Date(); d.setTime(d.getTime() + (exdays * 24 * 60 * 60 * 1000)); var expires = "expires="+d.toUTCString(); document.cookie = cname + "=" + cvalue + ";" + expires + ";path=/"; } function getCookie(cname) { var name = cname + "="; var ca = document.cookie.split(';'); for(var i = 0; i < ca.length; i++) { var c = ca[i]; while (c.charAt(0) == ' ') { c = c.substring(1); } if (c.indexOf(name) == 0) { return c.substring(name.length, c.length); } } return ""; } });